sexta-feira, abril 30, 2010

Texto sem a letra "A"

Já antes coloquei aqui um texto escrito apenas com palavras começadas por P. Parece impossível, mas o que é certo é que está feito e não é pequenino.
Agora surge outro texto do mesmo tipo, mas sem usar a vogal A, o que parece ser igualmente impossível. Mas, também desta vez, o resultado é surpreendente e, de novo, se chega à conclusão de que a língua portuguesa é, de facto, extraordinária!

"Sem nenhum tropeço posso escrever o que quiser sem ele, pois rico é o português e fértil em recursos diversos, tudo isso permitindo mesmo o que de início, e somente de início, se pode ter como impossível. Pode-se dizer tudo, com sentido completo, mesmo sendo como se isto fosse mero ovo de Colombo.

Desde que se tente sem se pôr inibido pode muito bem o leitor empreender este belo exercício, dentro do nosso fecundo e peregrino dizer português, puríssimo instrumento dos nossos melhores escritores e mestres do verso, instrumento que nos legou monumentos dignos de eterno e honroso reconhecimento.

Trechos difíceis se resolvem com sinônimos. Observe-se bem: é certo que, em se querendo esgrime-se sem limites com este divertimento instrutivo. Brinque-se mesmo com tudo. É um belíssimo esporte do intelecto, pois escrevemos o que quisermos sem o "E" ou sem o "I" ou sem o "O" e, conforme meu exclusivo desejo, escolherei outro, discorrendo livremente, por exemplo, sem o "P", "R" ou "F", o que quiser escolher, podemos, em corrente estilo, repetir um som sempre ou mesmo escrever sem verbos.

Com o concurso de termos escolhidos, isso pode ir longe, escrevendo-se todo um discurso, um conto ou um livro inteiro sobre o que o leitor melhor preferir. Porém mesmo sem o uso pernóstico dos termos difíceis, muito e muito se prossegue do mesmo modo, discorrendo sobre o objeto escolhido, sem impedimentos. Deploro sempre ver moços deste século inconscientemente esquecerem e oprimirem nosso português, hoje culto e belo, querendo substituí-lo pelo inglês. Por quê?

Cultivemos nosso polifônico e fecundo verbo, doce e melodioso, porém incisivo e forte, messe de luminosos estilos, voz de muitos povos, escrínio de belos versos e de imenso porte, ninho de cisnes e de condores.

Honremos o que é nosso, ó moços estudiosos, escritores e professores. Honremos o digníssimo modo de dizer que nos legou um povo humilde, porém viril e cheio de sentimentos estéticos, pugilo de heróis e de nobres descobridores de mundos novos. "

(Autor desconhecido)

HUMOR INTELIGENTE: Quino... Reuniões de organismos...






quinta-feira, abril 29, 2010

Where is the remote control?

Isto da Internet é uma coisa que, mesmo com todos os aspecto negativos que todos tão bem conhecemos, tem este lado, mais que positivo, de nos dar a conhecer momentos maravilhosos, principalmente no que diz respeito à música, e que, de outra forma, nunca seria divulgado ou partilhado. Pode-se mesmo dizer que é uma forma de democratizar as possibilidades de chegar à cultura, nas suas diversas vertentes.

Já antes coloquei aqui outro vídeo desta série e continuo a surpreender-me com as maravilhas que se fazem.

domingo, abril 25, 2010

Coimbra - Centenário dos Grandes Armazéns do Chiado

Mais uma ida a Coimbra e, mais uma vez ficámos surpreendidos com as surpresas que fomos encontrando pelas ruas.


Era o Centenário dos Armazéns do Chiado e, por toda a "baixa" da cidade havia personagens representando o que era a vida naquela altura.



Gostei imenso e digo que todos "vestiram" perfeitamente a pele da personagem que representavam, incluindo um bebé lindo e sereno...
(também no GRECO.KAMUK)




[Fotos de rua]







quarta-feira, abril 21, 2010

Ternura familiar


Um dia a minha mamã saiu e o meu papá ficou a tomar conta de mim.
Eu tinha então perto de 2 anos e meio e estava a convalescer de um pequeno acidente.
Nessa altura alguém deu-me um serviço de chá miniatura que se tornou um dos meus brinquedos preferidos.
Certo dia o papá estava na sala assistindo atentamente ao Telejornal, enquanto eu, brincando com o meu novo serviço, ia-lhe servindo chávenas de "chá" que, naturalmente, era só água... Depois dele ter bebido - e elogiado constantemente o meu "chá", a mamã chegou a casa.
O papá empatou a mamã na sala para que ela pudesse ver-me a trazer-lhe mais uma chávena de "chá" pois ele estava absolutamente "derretido" comigo.
A mamã esperou e viu-me chegar orgulhosa com mais uma chávena de "chá" e assistiu espantada ao ar deliciado com que o papá o bebeu até ao fim...
Mal o meu papá acabou de beber, a mamã (como só uma mãe saberia fazer) disse-lhe:
- "Ouve lá: alguma vez te passou pela cabeça que o único lugar com água a que ela chega cá em casa é a sanita????"

Lágrimas Ocultas

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida…

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago…
Tomo a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim…

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

Florbela Espanca - Livro de Mágoas

terça-feira, abril 20, 2010

Mais um grupo de GABINETE...


Pelos vistos, os professores vão continuar a ser as cobaias de mais um grupo de gabinete, daqueles que muito pouco ou nada sabem do que se passa no campo. E nós que aguentemos com as deliberações burocráticas, de quem, muito provavelmente, até nunca entrou numa sala de aula.

Aposentados? Especialistas em educação pré-escolar?
Não admira que, cada vez mais, tenhamos alunos nas salas de aula sem saber estar, completamente imaturos e abebezados... Só quem lida com eles.

O Ramiro Marques conta-nos como é:
"É uma comissão dirigida por Natércio Afonso e composta por: Maria do Céu Roldão, Teresa Leite, Alexandra Marques, Helena Peralta, Cecília Galvão, Isabel Lopes da Silva.
São 7 pessoas. Duas são aposentadas:
Maria do Céu Roldão e Isabel Lopes da Silva. Duas são especialistas em educação pré-escolar: Alexandra Marques (Presidente da Associação profissional da Educação de Infância) e Isabel Lopes da Silva (aposentada). Duas são doutoradas em teoria curricular: Maria do Céu Roldão (aposentada) e Helena Peralta. Cecília Galvão é doutorada em educação e é professora na FCUL. Uma é especialista em educação especial: Teresa Leite.
A chefia do grupo está entregue a um doutorado em educação, especialista em administração escolar,
Natércio Afonso." (ver aqui)

segunda-feira, abril 19, 2010

Memories...

Um amigo, no Facebook, partilhou esta maravilha e eu não resisti a trazer para aqui.
Lindo, o conjunto das imagens suaves, com a melodia saída do piano...

sexta-feira, abril 16, 2010

Dia Mundial da Voz

[ver em ProfBlog]

Para nós, professores, a voz é o nosso instrumento de trabalho principal e, acreditem que escrevo, sabendo concretamente do que falo.

Mas para não começar a falar em coisas tristes, deixo-vos esta pérola, que mostra bem o que é possível de fazer com a nossa voz e como há pessoas que são capazes de fazer coisas incríveis.



[pena a qualidade do vídeo, embora o som seja o que interessa...]

quarta-feira, abril 14, 2010

TANGO LA CUMPARCITA

video

Este vídeo foi-me enviado, por email, por um amigo, e não resisti a colocá-lo ali.
Adoro dançar, seja tango, seja valsa, seja... sei lá! You name it!

Mas acho este tango giríssimo!
Agora, então, que estamos na época dos vampiros, até está mesmo bem actualizado, deixando para trás aquela faceta de faca e alguidar... Pelo menos, agora, passa a ser de dentadinha no pescoço...

Gosto imenso do aspecto dos dois, que fazem lembrar os desenhos animados antigos, com a figura masculina alta, magra, de bigodinho fininho e cabelo com brilhantina, sempre pronto a raptar a pobre rapariguinha, indefesa e a mandar guinchinhos enquanto tentava fugir. Alguém se lembra?

Gostei muito e partilho com quem sente os pés a vibrar quando ouvem qualquer tipo de música.

Dia Mundial do Café



O que é que EU faria, sem um café pela manhã e outro depois de almoço?


[imagem retirada daqui]

terça-feira, abril 13, 2010

Dia Mundial do Beijo

Quando se trata do beijo, lembro o filme ternurento que termina, precisamente com uma caixa de beijos, daqueles que, nos tempos antigos, eram proíbidos, até no cinema.
Mas hoje, até temos o Dia Mundial do Beijo...



Passeio Pedestre por Fronteira

Mais uma confissão, mas que alguns dos meus amigos não me "oiçam": nunca gostei de História enquanto fui estudante.
Dizia sempre que não me interessava a vida deste e daquele, quem casou com quem, quem matou quem e porquê, quem mandava em quem...
Aliás, quem me conhece, sabe que eu sou mesmo assim e a vida dos outros não me interessa minimamente. Passam-se semanas que nem vejo os vizinhos e não moro num bloco de apartamentos...
Bom, mas continuando com a História, a idade tudo traz (e tudo leva, não é?) e cada vez mais gosto de saber razão do que somos e porque temos o que temos (a todos os níveis).

Dia 6 deste mês, foi aniversário da Batalha dos Atoleiros, em Fronteira, e, no sábado anterior, houve um grande passeio pedestre organizado pela SAL, por terras onde D. Nuno Álvares Pereira e as suas tropas derrotaram os castelhanos.

Foram 14 km pela linha do comboio, por meio dos trilhos já sobejamente conhecidos e calcorreados por outros amantes da Natureza e dos passeios pedestres.
Eu gostei imenso do passeio e só foi pena que a chuva teimasse em se fazer sentir. Felizmente encontrámos um lugar seco, onde pudemos almoçar e descansar um pouco, além de ouvirmos o relato do acontecimento que, ainda que indirectamente, nos tinha levado àqueles lugares.


[Herdade dos Atoleiros, onde se travou a Batalha dos Atoleiros, a 6 de Abril de 1384]

(mais fotos em My Eyes)

A chuva vai voltar?

Depois de uns dias LINDOS de sol e calor, parece que a chuva vai voltar.

Quem não está farto? Quem pode gostar de dias e dias sem fim, de céu cinzento, água por todo o lado, chapéu de chuva atrás...
Eu fico rabugenta, triste e cinzenta como o tempo.

Quando cheguei a casa, a trovoada rondava a cidade. Fazia um barulhão enorme.
Resolvi, então, tirar partido e... "matar dois coelhos de uma cajadada só": tirar fotografias e olhar o céu com as nuvens que conseguem ter uma aparência lindísima, outra das coisas que gosto de ver, com olhos de ver.

Eis o que consigo mostrar do eu vi, pois é-me impossível reter numa câmara a beleza das nuvens, mesmo num dia de trovoada.