domingo, Julho 18, 2010

Que qualidades um director deve ter?

Não resisto a partilhar este poste do ProfBlog.
Até porque há gente a mais que não sabe responder ou, muito simplesmente, não o sabe ser.

*****************************************************

Que qualidades um director deve ter?

"A liderança escolar depende, em primeiro lugar, do director. Um bom líder faz uma boa organização. Para se ser um bom director é preciso possuir várias qualidades humanas:

Saber ouvir os outros
Respeitar os outros
Mostrar firmeza quando necessário
Não desistir às primeiras contrariedades
Ser consistente e coerente nas decisões
Ser educado
Ser tolerante
Mas também é necessário possuir experiência de ensino e qualidades pedagógicas.

Gerir uma escola é muito diferente de gerir uma empresa. A escola é uma organização que trabalha com pessoas e produz bens intangíveis. Uma escola é eficaz quando é um local apropriado para transmitir conhecimentos. A escola não vende produtos que se possam medir e quantificar.

O director deve ser sempre um professor com larga experiência de ensino. A história profissional do director deve ter sido marcada pela excelência no ensino. Infelizmente, nem sempre isso acontece: há casos de directores que o são porque eram maus professores e quiseram fugir da sala de aula.

O director nunca deve abandonar por completo o ensino. Volta e meia deve partilhar aulas com colegas. O contacto do director com a sala de aula nunca deve ser quebrado. Os ingleses têm uma bela expressão para designar o director: head teacher. Ou seja, o líder dos outros professores."
*******************************
********

Isto faz-me lembrar a experiência que tive na Noruega (eu vivi-a, ninguém me contou), na escola onde estivemos a trabalhar com alunos de várias nacionalidades, inseridos num Projecto Comenius.
O Director (com um "D" maiúsculo), além de nos receber de forma bem informal, fazendo-nos sentir "em casa", esteve sempre presente em todas as actividades desenvolvidas pelos alunos e professores, ajudando em qualquer problema que surgisse. Não o fez a partir de um poleiro nem "abandalhou o sistema", como se costuma dizer. A sua presença e atitudes foram sempre de respeito e partilha de tudo o que a sua escola e a sua pessoa podiam proporcionar aos visitantes.
Soubemos, ainda, que, quando algum professor da escola falta, é ele, o Director, que o substitui, na maior parte dos casos. Embora não seja regra, acontece muito frequentemente, como medida de poupança, uma vez que, qualquer professor com horário completo que faça substituição, ganha esse tempo por inteiro.
Cá em Portugal, o director está num gabinete, muitas das vezes "alheio" à realidade da sua escola.

4 comentários:

  1. Oi Amiga. Com esse exemplo do director das escolas na Noruega, ficou tudo dito sobre as qualidades que deve ter um director de escola. Concordo que tem que estar ligado ao ensino, ou melhor que tenha sido um excelente professor e que esteja no campo de acção sempre e não empoleirado a
    ver os outros trabalharem; conheço aqui um caso em que um péssimo professor acabou, por isso mesmo,por se transformar em chefe do agrupamento de escolas do 1º ciclo; não se trata de um director de escola, mas vai dar no mesmo; como deve imaginar, era um zero à esquerda no desempenho desta função. Enquanto assim fizermos, as nossas escolas continuarão esta lástima. Um beijinho e tudo de bom!
    Emília

    ResponderEliminar
  2. Oi querida! Tudo bem com você? Adoro ver essa foto com esse lindo sorriso que você tem.

    Beijão e até mais!

    ResponderEliminar
  3. Emília
    É esse, precisamente, o problema. Nem todos podem ser directores, mas é verdade é que o são. E com todos os poderes que lhe são permitidos.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  4. Ana
    Obrigada, amiga, pela visita e pelo mimo das palavras que deixou.
    Um beijo também para o Gilbamar.

    ResponderEliminar